Noticias

Veja as últimas notícias

Consumidores reclamam de imóveis que não foram entregues no prazo

Consumidores reclamam de imóveis que não foram entregues no prazo

Um deles relata que entrou na Justiça para ser indenizado por demora.
Especialista afirma que pessoas lesadas devem procurar Procon, em GO.

Alguns consumidores que compraram salas comerciais e apartamentos em Goiânia reclamam que não receberam os imóveis no prazo estipulado em contrato e esperam anos para conseguir as chaves dos imóveis. As empresas reconhecem os atrasos e prometem entregar os espaços aos clientes. Em casos como estes, especialistas aconselham que os problemas sejam registrados na Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor de Goiás (Procon-GO).

O empresário Geocás Ferreira contou que comprou algumas salas comerciais para ampliar o seu negócio. Ele afirma que a construtora responsável pelo empreendimento deveria ter entregue os imóveis no início de 2015, o que, segundo ele, não aconteceu.

“Ficaram parados por um tempão e eles disseram que foi por isso, porque houve reestruturação da obra e dos gastos, foi a única satisfação que deram. Entrei [na Justiça] para receber como se fosse um aluguel esse atraso todo, porque a minha sala podia estar alugada”, reclamou.

A diretora da Associação dos Mutuários da Habitação, Anna Paula de Moraes, destacou que a pessoa que se sentiu lesada com a demora na entrega do imóvel deve fazer a reclamação no Procon-GO e entrar na Justiça. “Para ter ressarcido todos os prejuízos que ele teve por causa daquele atraso”, afirmou.

O advogado Luiz Fernando Caldas, que representa compradores de apartamentos em outro empreendimento da capital afirma que os apartamentos deveriam ter sido entregues em 2012, no entanto, das 12 torres que o condomínio tem, três ainda não têm moradores porque ainda falta energia, gás e acabamentos.

“Como a gente pode ver, a parte de fora está pronta, o problema é a parte interna que falta alguns acabamentos como interruptores, portais, porta. O elevador não funciona, sem energia não funciona”, relatou. Fotos tiradas dentro do prédio mostram fios soltos e instalações inacabadas nos apartamentos.

Conforme o advogado, a empresa promete que vai finalizar, mas não entrega os apartamentos. “Eles sempre falam que vão entregar o apartamento no final do mês, mas nunca entregam. Para alguns eles entregaram da forma que está, inacabado, sem energia e sem gás”, afirmou.

A construtora Brookfield, responsável pelo empreendimento citado por Geocás Ferreira que ainda não recebeu suas salas comerciais, informou que o condomínio vai ser entregue no próximo mês de julho e disse ainda que os clientes estão sendo indenizados por causa do atraso.

A construtora Borges Landeiro, responsável pelo edifício Tropicale que é alvo das reclamações do advogado Luiz Fernando Caldas, informou que quase 1 mil apartamentos já foram entregues e as unidades restantes vão ficar prontas de acordo com as vendas.

Fonte: Globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>