Noticias

Veja as últimas notícias

Aumento do aluguel chega a 3,56% e fica acima da média

Aumento do aluguel chega a 3,56% e fica acima da média

O preço médio do metro quadrado  para aluguel em Natal aumentou +3,56% no 3º Trimestre de 2016, em comparação ao mesmo período de 2015. É o que mostra  a pesquisa Dados do Mercado  Imobiliário, divulgada esta semana pela VivaReal. A variação em Natal é a maior entre as 30 cidades do país pesquisadas. A maior procura por aluguéis puxa os valores para cima. A busca por alugueis em Natal, segundo  a entidade, aumentou de forma considerável no último ano, passando de 38% das buscas em maio de 2015  para 47% em setembro deste ano.

O preço de imóveis possui um fator local. E o  mercado natalense, explica Aline Borbalan, head de inteligência de Mercado do VivaReal, no geral é mais sensível ao crédito, ou seja, o acesso ao financiamento é um fator importante para a venda. Com restrições a empréstimos, o consumidor opta pelo aluguel e acaba valorizando o m² diante da alta procura.

“O consumidor potiguar parece ter aderido ao aluguel, após as alterações nas regras de financiamento imobiliário que limitou o crédito para compra a partir de maio de 2015, fazendo o preço dele subir 3,6% em relação a setembro de 2015”, explica.

Até junho de 2015, o mercado de aluguel, segundo ela, era imaturo e em níveis relativamente baixos. Em maio de 2015, a CAIXA –  maior agente financeiro para compra de imóveis – fez diversas mudanças que restringiram o acesso ao crédito.

“Em março deste ano, a instituição flexibilizou novamente o acesso ao crédito. Em muitas cidades brasileiras, a procura pela compra voltou a crescer. Isso não ocorreu na capital Norte-riograndense”, afirma Aline Borbalan.

Contudo, diferentemente da maioria das capitais brasileiras, Natal está com demandas  equilibradas para compra e aluguel de imóveis. Para o consumidor, explica ela, pode ser interessante pensar em investir em um imóvel novo ou até mesmo usado, pois os proprietários estão oferecendo condições interessantes diante da falta de crédito.

Negociações

Se o preço do metro quadrado  para aluguel aumentou, a negociação para tentar reduzir ou retirar os reajustes na renovação de contratos também. O presidente do Creci-RN e diretor da Bezerra imobiliária, Waldemir Bezerra, conta que em virtude da crise financeira é cada vez maior o número de inquilinos que buscam locadoras e proprietários dos imóveis na hora de renovar por mais um ano a permanência.

“Temos orientado os proprietários a avaliar o inquilino, se é um pagador adimplente, que preserva pelo imóvel, pode ser mais vantajoso não aplicar a correção prevista em lei, para manter o prédio alugado, do que ele ficar ocioso e o proprietário arcar com os custos e demais taxas”, afirma Waldemir Bezerra. Os imóveis são corrigidos pelo IGPM (9%).

Mesmo em período de crise, a taxa de inadimplência está sendo mantida na casa dos 10% a 15%, o que é considerado normal para o setor, segundo o presidente do Creci.

Fonte: TribunaDoNorte.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>