Noticias

Veja as últimas notícias

Mercado reage em Salvador e imóveis têm valorização

Mercado reage em Salvador e imóveis têm valorização

No final do ano passado o preço do metro quadrado para venda de imóveis em Salvador estava em R$ 5.261,00, valor este que aumentou para 5.493,50 em janeiro deste ano, fazendo com que Salvador fosse a 5ª cidade no Brasil onde a valorização imobiliária foi a mais alta, não só para venda de imóveis, mas também para locação, onde a capital baiana ocupou a 9ª dentre as 20 maiores cidades brasileiras.

Os dados foram comemorados pela Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário na Bahia (Ademi) e pelo Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci), que vêem nos indicadores um sinal de recuperação da economia e a possibilidade dos 4,2 mil imóveis novos e que estão à venda no mercado no último mês, em Salvador, possam ser finalmente comercializados.

O presidente da Ademi-BA, Claudio Cunha, diz que a tendência é uma valorização ainda maior do metro quadrado para imóveis às vendas em Salvador, principalmente com as recentes medidas anunciadas pelo Governo Federal, de aumentar o limite de renda das famílias inscritas no programa Minha Casa Minha Vida para R$ 9 mil, o uso do FGTS para financiamento e a redução dos juros da Caixa Econômica Federal. A maior procura, como disse, deverá ser para imóveis de 2/4 e 3/4na faixa de preço de até R$ 350 mil, que poderá ser financiado com o uso do FGTS.
Claudio Cunha acredita que a reação do mercado imobiliário em Salvador deva produzir os primeiros resultados concretos entre o final primeiro e início do segundo semestre deste ano. Ele lembra que o estoque de imóveis à venda existente na capital é o mesmo patamar de vendas do mercado imobiliário registrado em 2006. “Estamos retomando as atividades e isso já é perceptível com os projetos e pesquisas de áreas para futuros lançamentos, e as definições da Lei de Ordenamento e Uso do Solo (LOUS) e o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU)”, disse.
Reação

O presidente do Conselho regional de Corretores de Imóveis na Bahia (Creci-BA), Samuel Prado, disse que o mercado de aluguel tem reagido bem e até mesmo com setores tendo superado metas. “A procura maior é na locação de imóveis de dois e três quartos, com uma estagnação ainda no setor de imóveis comerciais, onde os estoques ainda são grandes e a reação do mercado bem lenta”, disse.

O preço anunciado dos imóveis residenciais ficou estável na comparação de janeiro com dezembro, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) com base nos anúncios do site Zap Imóveis. Os dados correspondem à média de 20 cidades. A pesquisa mostra que nos últimos 12 meses, os preços médios das moradias nas 20 cidades pesquisadas avançaram apenas 0,65%,

O presidente do Creci-BA corroborou as mesmas análises feitas pela Ademi, de que já se começa a observar uma reação favorável do mercado imobiliário em Salvador. “É a lei da oferta e da procura”, resume, explicando que em alguns nichos, o metro quadrado de imóveis de 4/4, duas suítes, garagens e 200 metros de área, podem chegar a R$ 10 mil. E, conforme disse, “as áreas mais buscadas continuam sendo aquelas que têm infraestrutura de serviços, como hospitais, escolas e acesso fácil”, disse.

Já a Assessoria de Comunicação da Secovi-BA, entidade que atua como sindicato das empresas de compra, venda, locação e administração de imóveis e dos edifícios em condomínios residenciais e comerciais do Estado da Bahia, informou que essa valorização imobiliária para locação, se deu em todos os segmentos de apartamentos, sendo maior nos imóveis de apartamentos de dois quartos, atingindo 6,42%, o Único segmento nessa área que apresentou retração foi o de sala/conjunto, com uma desvalorização de 6,70% de janeiro do ano passado a janeiro deste ano.

Já no que se refere às vendas imobiliárias, a Secovi fez uma pesquisa com imóveis usados e constatou que também as vendas tiveram sua maior valorização nos últimos doze meses no tipo “apartamento dois quartos”, com 3,22% de valorização, contrastando com a desvalorização de 7% no segmento “Sala/Conjunto”. A pesquisa da Secovi só considerou imóveis usados, do tipo padrão e excluídos aqueles com valores fora de mercado.
São 39.570 à venda na capital

A meta é diminuir ao máximo o estoque de imóveis à venda, possibilitando que as construtoras iniciem a construção de novas unidades e reaqueçam o mercado de trabalho. Aos 34 mil imóveis usados que estão colocados à venda em Salvador, somam-se outros 4,2 mil de novos lançamentos, e 10.898 imóveis para alugar vem toda a cidade.

A grande maioria dos imóveis usados que estão à venda são de três quartos (12.877 unidades à venda), cujo metro quadrado estava valendo ao final de janeiro, R$ 5.930, valor acima da media do mercado em Salvador. Já os imóveis de um quarto (3.675 unidades) tinham preço do metro quadrado, segundo os dados da Secovi, de R$ 6.382,00.

Fonte: Tribunadabahia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>